domingo, 27 de dezembro de 2009

EM TORNO DA DOUTRINA


O capítulo III de O Evangelho Segundo o Espiritismo começa com uma frase incontestável: A casa do Pai é o universo.
E que outra expressão poderia traduzir, para o entendimento humano, o conceito da casa de Deus?
A casa de Deus é o universo, Sua onipresença traduz a expressão de Sua vontade absoluta, a conduzir cada expressão de vida nesse imenso caminho para a perfeição.
Muito se especula sobre a vida no universo, sobre seres que habitam outros mundos, suas naturezas, suas ações...
A ciência, escudada na arrogância humana de só aceitar aquilo que vê, sente e prova, procura evidências de vida baseando-se nos padrões terráqueos, sentenciando que, se em tal planeta não existe sinal de água, então lá não existe vida !
Mas, por que o universo haveria de ter a Terra como padrão? Os sinais vitais da Terra podem ser específicos para ela, já em Júpiter, por exemplo, podem ser outros... A vida é um constante processo de adaptação.
Kardec nos fala, por inspiração dos Espíritos, das diferentes categorias de mundos habitados, cada uma delas referindo-se aos estágios evolutivos de seus habitantes, sendo que esses estágios são coerentes com as necessidades físicas de adaptação, ou seja, nos mundos inferiores, onde a existência é toda material, as condições biológicas de seus moradores estão adaptadas a uma vida grosseira, pesada, dominada por paixões. O perispírito desses habitantes, por coerência, ainda se reveste de material denso, pesado, modelando seres equivalentes ao ambiente.
Já nos mundos desenvolvidos, onde a influência da matéria diminui, a vida é mais espiritual e isso se reflete no próprio ambiente que abriga os seus moradores, detentores de um perispírito mais fluido, em sintonia com processos espirituais mais elevados.
A vida é evolução, ela se processa em vários níveis, dando a todos a oportunidade de crescimento.
Se existem formas diferenciadas de mundos, adaptadas aos seus ciclos evolutivos, então as condições de vida também podem variar, de acordo com as necessidades de cada humanidade.
As muitas moradas da casa de nosso Pai, são a expressão de Sua vontade, num processo organizado que tem por finalidade, proporcionar o progresso individual e coletivo dos seus filhos.
Se cada um puder parar, à noite, por alguns minutos e olhar para o céu, vai perceber um milagre que está diariamente ante os nossos olhos, é a vida pulsando no universo, o fantástico movimento estelar... É como se a cintilação dos astros nos enviasse uma mensagem, dizendo que Deus está presente, que as formas de vida podem ser diferentes, mas são vida.
Somos ainda muito pequenos, estamos em crescimento, mas se orarmos com o melhor que nosso coração puder realizar, sem dúvida vivenciaremos a realidade de que a promessa de Jesus é eterna, quando Ele diz que há muitas moradas na casa de nosso Pai e que Ele está sempre preparando novos lugares para lá nos alojar.
É reconfortante saber que somos os artífices do nosso caminho, que nossa fé e nossa esperança nos conduzirão, sempre, com segurança, pelas moradas do Pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário