quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

HUMILDADE SEMPRE

Dois carpinteiros trabalhavam na carpintaria que pertencia aos dois.
Era comum ver o mais velho serrando as madeiras e o mais novo lixando e recolhendo a serragem que caía ao chão.
Faziam isso diariamente, ano após ano...
Dia chegou, porém, que o mais novo resolveu se revoltar. Inconformado com a rotina do seu trabalho quis trocar de posição com seu amigo carpinteiro. Ele passaria a serrar as madeiras e o outro as lixaria e recolheria a serragem.
O mais velho, mais humilde e mais sábio, aquiesceu sem nada argumentar. Inverteram, pois, as tarefas que estavam sendo realizadas.
Após certo tempo de trabalho, começou o mais jovem a reclamar de novo.
A serra exigia-lhe mais firmeza nas mãos, o que na verdade ele não tinha e, no geral, as tábuas não saíam bem serradas.
Além do que, as dores nas mãos, nos braços, nas costas, estavam a lhe consumir as energias.
Calma e serenamente, o mais velho retornou à sua atividade primeira, e o mais moço àquilo que estava acostumado a realizar.
E a paz, então, voltou a reinar no ambiente.
Quando insistimos em fazer algo para o que não fomos preparados, por certo teremos muita dificuldade em sua consecução.
Dores inúmeras se farão presentes sem que tenhamos condições de supera-las. Contudo, quando realizamos com amor, paciência e dedicação, aquilo que a bondade do Pai confiou à nossa capacidade, por certo a nossa energia para tal tarefa, estará sempre bem equilibrada.
Não queiramos, pois, realizar aquilo que não está à nossa altura, no momento. Busquemos com humildade desenvolver o trabalho, por pequeno que seja, que o Senhor nos ofertou como forma de redenção e de evolução.
Se viemos para serrar madeira, não queiramos, pois colher a serragem do chão.
E se viemos para colher a serragem ou lixar a madeira, não almejemos ainda o trabalho com a serra, pois, por certo, não teremos a destreza necessária para não danificarmos a madeira, pondo, assim, toda a carpintaria a perder. (

Irmão Jorge
Mensagem recebida em 04/04/1999 na “Casa dos Espíritos”- psicografia de Vera Moreira).

Nenhum comentário:

Postar um comentário