sexta-feira, 26 de março de 2010

APELO A VIDA


Quero deixar aqui, o meu apelo a vocês mãezinhas, que carregam em seus ventres a pequenina sementinha que irá se transformar num novo ser.
Por mais que tudo seja contrário a este ser que luta pela sobrevivência, já dando demonstrações de vida no íntimo de vossos corpos, por mais que haja pessoas se opondo á existência desta nova vida, não se intimidem.
Sempre vemos ocorrer, todos dias, jovenzinhas grávidas, que mal sabem o que é viver, que são escandalizadas pela sociedade, são mal apontadas pelas colegas de escola, são maltratadas pelos próprios pais, às vezes namorados inconformados com uma situação nova, maridos que não querem mais uma responsabilidade.
Mãezinhas que vivem ao relento, sem ter o que dar a seus filhos, e temem a fome de mais um, mais um para sofrer, colocado no frio das ruas, na miséria, na violência do mundo e das favelas.
Mãezinhas que foram iludidas por um grande amor e depois desprezadas e abandonadas, sem piedade pelos companheiros ao saberem de sua gravidez.E mesmo aquelas que não querem a gestação, para não destruírem seu ideal de beleza do corpo físico, ou aquelas que não a desejam porque não fora planejado de forma alguma.
Podemos verificar o caso de muitas que são até ameaçadas, violentadas pelos esposos, namorados, e mesmo os próprios pais que, julgam o acontecimento como algo vergonhoso, irrepreensível, lastimável e inesperado.E neste momento, em que é como se o pior estivesse ocorrendo, como se o mundo estivesse desabando, o desespero se agiganta e envolve a mente destas pessoas, que não se sentem fortes o suficiente para reagirem contra os familiares, os namorados e esposos ou contra sua própria fraqueza e ilusões de viver.É quando, muitas recorrem ao caminho do aborto, que julgam a melhor solução para seu problema, julgado tão imenso, sem saída.
. Desde que o mundo é mundo acontecem freqüentemente casos assim, e muitas vezes estas pobres mãezinhas, vítimas de circunstâncias infelizes e ás vezes vítimas de sua própria invigilância e inconseqüência caminham para este lastimável desfecho e o que aparentemente é considerado a melhor saída, será sem sombra de dúvidas o pior de todos os caminhos, que terá conseqüências seriíssimas, com comprometimentos altamente dolorosos no plano espiritual.
Porque, na atualidade, o homem dispõe de recursos que lhe permite um melhor controle familiar, formas de se evitar a gravidez inesperada na adolescência, numa família onde a miséria domina o ambiente, enfim, hoje há formas de se evitar a gravidez, sem que se tenha que recorrer ao aborto. Há casos em que a gravidez ocorre, por descuido, inconseqüência, mas há os que ocorrem mesmo quando a mulher toma suas precauções. Porquê? Como explicar? Falhas nos métodos? Como explicar uma mulher que fora submetido a uma laqueadura e após muitos anos aconteceu uma gravidez inexplicável? O que acontece meus irmãos, é que muitas vezes, a espiritualidade, e mesmo os espíritos com necessidades urgentes de reencarnação forjam uma situação para retornarem a terra, uns para cumprir uma missão junto destes que procuram para reencarnar, e muitas vezes, são espíritos familiares que solicitam à espiritualidade maior uma reencarnação rápida para ajudar, para auxiliar, por muito amarem, por desejarem estar ao lado de seus afetos e outros para resgatarem débitos.
Muitas vezes, ocorre reencarnação prematura, em jovenzinhas, justamente por uma necessidade urgente de aquele espírito reencarnar, que aproveitam a falta de preparo, orientação familiar, pela falta de estrutura doméstica capaz de dar uma base sólida de vida.
Mas em quaisquer casos, a vida é sempre vida, e o aborto é um crime aos olhos de Deus que nunca terá justificativas e que terão os responsáveis, um dia, que responder com lágrimas o engano cometido.Porque aquele espírito que veio para cumprir uma missão, ele será lesado, será lhe tirado o direito de também viver, de ter suas experiências a que pediu, e freqüentemente, com grande necessidade. Então o que poderia ser um caminho para o amor, para a vida, para encontros, a chance de espíritos familiares trazerem mais luz aquele ambiente, incentivo, alegria, ressarcir débitos adquiridos juntos, poderá ser o caminho para conquistar inimigos, desafetos, perseguidores ferrenhos no mundo espiritual, contraindo dívidas altas que poderão ser muito difíceis de serem resgatadas, e podem levar séculos e séculos.
O que parece ser uma solução melhor, porque muitas vezes o aborto fica encoberto para a sociedade ou até para a família, poderá se tornar um caminho árduo que poderá terminar em desilusão, em doenças, arrependimentos, culpas, tragédias para esta pessoa que o praticou.
Mãezinhas, por mais que achem impossível uma gravidez assim, indo contra os princípios da sociedade, que pode considerar vergonhoso, indo contra a vontade de pais, namorados, por mais que fiquem sozinhas, nesta decisão, por maior que seja a miséria em que se encontrem, não desistam de lutar pela vida, que é a maior maravilha permitida por Deus. Lute contra sua própria desilusão, medo, desespero, inconseqüência. Reflita, lute, não teme em dizer que carrega um filho, porque a vida não é vergonha seja como vier, porque vergonhoso é matar, é lesar, é prejudicar.Sempre há amigos, pessoas bondosas, sensatas e caridosas a estender às mãos em auxílio. Que falem os preconceituosos, que não medem esforços em criticar. Afastem a indecisão no futuro.
Mas uma vida que se inicia, mesmo com todas dificuldades encontradas ela é sempre um novo amanhã, que poderá trazer novos horizontes de amor, de esperança, de paz, de luz. A terra é um palco de provações, dores, problemas, saibam enfrentá-los com coragem, porque aquela mãe que a tudo isto enfrenta com amor e coragem, ela é realmente aquela a que podemos chamar de verdadeira mãe, aquela que abandou tudo e todos, aquela que não se importou em como os outros iriam reagir. Mesmo que o mundo caia a seu redor, ela assume o filho que vem e o abraça e o protege com toda força de seu ser. Sejam mães, não entreguem a vida deste serzinho que se inicia aos braços da morte, porque a semente e o embrião são a vida que germina latente.Não duvide que já carrega em você um ser que já vive.
Não tenham temor, vergonha de enfrentar seus familiares, pois muitos abortam, escondendo dos pais este fato, que julgam que seriam mal-vindo, que seria desastroso uma notícia assim. Não omitam, pois o que vocês julgam ser algo de difícil aceitação poderia ser recebido de forma diferente, e quem sabe bem vinda.E mesmo que seja, a gravidez, recebida com dificuldade, entreguem ao tempo, que permitirá uma melhor aceitação. Se puderem se prevenir de uma gestação vinda em momento inoportuno, com o parceiro errado, se previnam, mas se ela já ocorreu, deixem-na acontecer como vier, enfrentem a situação com coragem, destemidos, certos de que maior mérito terá aquele que soube lutar contra todos, contra toda e qualquer situação contrária para deixar vir um filho de Deus que pede a chance de nascer.
E se ele vier em meio à fome, a miséria, a imensas dificuldades, à solidão, ao desespero, não percam as esperanças, avancem e assumam esta responsabilidade com coragem e certos de que Jesus e Maria não desamparam nenhum de seus filhos, por piores que sejam as dores. Levantem ao horizonte infinito os seus olhos, vejam como fazem as aves do céu, que alimentam seus filhotes, num ninho construído numa área deserta ou no inverno frio e aconchegam quantos ali tiverem, trazendo no seu bico pequenino o alimento de cada dia, que alimentará a todos sem saber o dia de amanhã, cobrindo com seus corpinhos, aqueles serzinhos indefesos.
. Haverá sempre alguém para ajudar, para orientar, para apoiar, para oferecer o pão, estender a caridade e a aceitação.Mas quando a dúvida cruel, insistir nesta decisão lembrem-se e orem a Maria de Nazaré, mãe de Jesus, que trazendo ao mundo seu filho, contradizendo todo costume da época, com uma gravidez que já fora programado e protegido pelas altas esferas espirituais, desejou aquela vida já a ela anunciada.Aguardou a chegada de seu filho que viria, mesmo entre privações, entre necessidades maiores, mesmo já sabendo que ele nasceria, encontrando todo caminho de dificuldades e a incompreensão de grande parte da humanidade.
Então, mãezinha, faça como Maria, não importa o que irão pensar, como as pessoas reagirão, como fará para sustentar, amparar e alimentar este ser.Mesmo que seja abandonada pelo companheiro, lembre que os amores podem ser passageiros, as ilusões. A beleza do corpo, mais cedo ou mais tarde, sempre se altera, mas um filho é algo para se ter eternamente no coração de uma mãe. Dê-lhe, primeiro a chance de viver, e as dificuldades que surgirem posteriormente, poderão ser minoradas com a própria vida e o amor, porque somente o amor é capaz de construir situações melhores, no seu mundo interior, no seu caminho a percorrer e em toda a humanidade.
Os espinhos, o desamor, o desrespeito à vida e seu extermínio só trarão complicações no destino daqueles que o plantarem, enquanto que a renúncia, a coragem de lutar pela vida, enfrentando todas adversidades, o amor plantado, assim, no meio deste chão árduo, deste solo arenoso, hão de fazer florir uma estrada, com mais chances de êxito, uma estrada mais fácil de se trilhar, porque as pétalas das rosas, cobrirão como um tapete, o chão a percorrer e perfumarão de esperança todo e qualquer viver.

Que deixem vir à vida!!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário