sexta-feira, 12 de março de 2010

INTERROGATÓRIO DE JOANA D'ARC EM 12.03.1431


Existem hoje duas sessões, uma pela manhã e uma à tarde. Jehanne faz o juramento em sua forma habitual. Eles continuam falando sobre a coroa. Quanto anjos, Jehanne diz que freqüentemente os vi nos outros cristãos, mas eles não eram vistos (anjo da guarda do cristão talvez). Os anjos a chamavam de "Jehanne a empregada doméstica, filha de Deus."

Perguntado se o anjo não deixou ela, em relação as coisas boas da fortuna, quando ela foi levada, ela responde que ela achava que desde que aprouve a Deus, que era melhor para ela ser feito prisioneiro. Perguntado se o anjo não deixou ela, em relação as coisas boas de graça, ela responde: "Como é que ele me falha, quando ele me conforta todos os dias?" E ela acredita que, como ela diz, que o conforto é de Santa Catarina e Santa Margarida. Questionado se ela chama de Santa Catarina e Santa Margarida, ou se vem sem ser chamada, ela responde: "Eles muitas vezes vêm sem a minha vocação", e, por vezes, se eles não vêm, ela iria rezar a Deus para enviá-los. Perguntado se, por vezes, ela chamou-os sem a sua vinda, ela responde: "Eu nunca precisei deles sem eles".

À tarde, eles perguntam a ela sobre os sonhos de seu pai que Jehanne seria seguir o exército (como uma suposta prostituta) e que seu pai teria se afogado e não ela que desonra a si mesma desta forma. Eles pedem mais perguntas sobre a sua roupa dos homens. Eles perguntam a ela sobre o resgate do Duque de Orleans. Eles lhe perguntar novamente sobre o sinal para o Rei, mas ela adia, dizendo que ela deve ter conselho de St. Margaret.

Nenhum comentário:

Postar um comentário