segunda-feira, 7 de junho de 2010

FALTA-LHES UM ESPÍRITO DA VERDADE



“Queridos filhos. Que Deus, nosso bondoso Pai, possa fortalecer vosso ânimo em torno da realização do nobre trabalho de divulgar a Doutrina da Verdade. Vendo-vos na luta árdua com a ignorância e contra a idolatria de vivos que predomina em vosso meio, fico tocado de compaixão e venho dizer-vos que deveis ter paciência com vossos irmãos, dominados pelo espírito mundano que neles alimenta amor próprio e vaidade.

Segui realizando a obra do Bem, conforme vos apresenta o Consolador Prometido, na obra revelada ao mundo pelo codificador do Espiritismo. Ensinai aos que buscam a seriedade das práticas, mostrando-lhes a gravidade do momento.

Não vos deixeis envolver pela influência maléfica que por todo o Movimento Espírita cria bolsões de falsas alegrias e gloríolas. A esses supostos mestres faltam os caracteres do verdadeiro cristão. Não é preciso ir longe para compreenderdes a demência que os envolve. Fascinados por Espíritos pseudo-sábios, oradores, escritores e dirigentes deslumbrados não conseguem enxergar suas inadequadas condutas. Conhecereis as árvores pelos frutos, ensinou o grande Professor da humanidade. E que frutos são esses que se apresentam? Engrandecimentos? Elogios desmedidos? Trocas públicas de amabilidades? Valorização de títulos? Cegos, eis o que são. Esquecem-se de que os verdadeiros espíritas se distinguem pelo altruísmo, abnegação e pela total negação do sentimento de personalidade.

Encontros e congressos têm sido promovidos sem que deles sejam retiradas qualquer coisa que provoque nos seus frequentadores, mudanças reais no seu mundo moral. Em alguns casos, os discursos são mera expressão da cultura, que os bons memorizadores podem guardar na mente com facilidade. Homens que profetizam com palavras do próprio coração. Falta-lhes um espírito de verdade vibrando na intimidade da alma.

O momento que viveis demanda cautela. Vós, trabalhadores, estejais cuidadosos com vossas obrigações. Vigiai e orai para que os Espíritos imperfeitos não venham interferir naquilo que fazem em nome do Criador. Orientai-vos pelas instruções da Doutrina codificada, pois ela é o alicerce que futuramente sustentará o edifício do novo mundo. Sois poucos, bem o sabemos, mas somos muitos que, enviados de Deus, seguimo-vos os passos.

Vós, freqüentadores das casas e simpatizantes da Doutrina Espírita, acautelai-vos, pois entre os que se dizem espíritas, muitos o são apenas de nome. Imaturos, encontraram no movimento dos espíritas, as condições necessárias para utilizá-lo como pedestal onde edificam altares ao próprio ego. Não confieis em todos os que se dizem seguidores de Allan Kardec. Não depositeis confiança irrestrita nesses que vos falam em nome da caridade com falas mansas, para melhor serem aceitos. Acima de tudo, verificai se esses espíritas são de Deus. Se falam deles próprios ou dos homens que idolatram, não lhes dêem ouvidos. Assim procedem para conquistar os fracos de coração.

Só quem fala pelo espírito de Deus e pelo espírito de Jesus está a serviço do Bem. Desconfiai, porque no mundo moderno existem muitos profetas de aparências. Não vos entregueis a eles. Prossigais com vossas vidas, estudando o Evangelho e permitindo-lhe operar na vossa intimidade, as mudanças necessárias para elevar-vos na senda do progresso. Meditai profunda e calmamente nos ensinamentos revelados em O Livro dos Espíritos. Com eles, aprendereis a discernir o bom do mau grão.

Vosso mundo se envolve a cada dia em desajustes profundos. Não, não há castigos do bom Deus. O que acontece na verdade, é a colheita de uma semeadura ruim, feita por longos períodos de distanciamento da lei natural. Não se pode viver em equilíbrio se não se pratica a Lei do Amor e da Caridade. Praticai, pois, o Bem indistintamente e instrui-vos uns aos outros como a irmãos.

Não vos compactueis com os hipócritas, que se comprazem em longos discursos decorados e em receber honrarias de homens. Como disse o Senhor, eles já receberam o seu galardão. Pagarão caro pela insanidade de envolverem os mais simples em ilusões e fantasias.

Que das regiões superiores da Vida, possam cair bênçãos a todos os que seguem a Doutrina dos Espíritos com a devida seriedade e cautela, divulgando-a ao povo carente. Estaremos ao vosso lado, dando-vos sustentação para vencer as dificuldades comuns a esse tempo de transformações.”


Espírito: Um Espírito Protetor
Grupo Espírita Bezerra de Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário