terça-feira, 8 de junho de 2010

NÃO ANDEIS COMO CEGOS


“Somos enviados do Alto, para vos falar das coisas necessárias ao melhoramento de vossas almas e crescimento de vossos Espíritos. Já possuís em mãos este valioso compêndio de ensinamentos morais e filosóficos, que vos foi oferecido pelo Espírito de Verdade. Tendes à vossa disposição os instrumentos necessários ao processo de burilamento das vossas consciências e desenvolvimento racional de vossas inteligências.

Em nossas andanças pelas regiões terrenas temos visto homens, mulheres, crianças e famílias em profundo estado de sofrimento. E não falamos aqui apenas da dor provocada pela fome e pela ausência de bens de ordem material, desgraça de continentes inteiros. Mas, e sobretudo, do sofrimento moral provocado pelas ilusões do materialismo, que agiganta-se todos os dias, espalhando-se como uma praga.

Viveis num tempo de transformações profundas, onde vossa sociedade começa a dar os primeiros passos no caminho da regeneração. Dores, porém, ranger de dentes, ainda serão constantes por anos a fio, até que a humanidade reconheça a mão de Deus que lhe fere o orgulho. Quero, no entanto, vos falar de um tipo de sofrimento particular, que nos causa tristeza: o sofrimento dos espíritas. Sois milhões de adeptos e quão poucos compreende o sentido verdadeiro dos ensinamentos.

Espíritas, deixastes de lado o estudo das obras reveladas para vos entregar à prece sem razão, balbuciada apenas com os lábios, distante do coração. Vos acomodastes em freqüentar as instituições espíritas, sem despenderdes esforços no rumo do auto conhecimento e educação do vosso personagem. Atentai para a verdade. Ouvi a voz dos que clamam pelo vosso progresso. Se reservásseis ao menos um dia da semana, ou pelo menos parte dele, para vossos estudos, para a meditação dos conceitos, para a prática da beneficência junto aos vossos parentes e mesmo aos estranhos, tudo seria diferente. Viveríeis menos atormentados pelas preocupações terrenas. Dormiríeis em melhores condições. Vosso trabalho profissional apresentaria surpreendentes resultados.

Mas, seguis atormentados como a cegos. Limitai-vos à presença física nas assembléias. Colocastes com freqüência vossa confiança nas coisas que são acessórias, mantendo-vos esquecidos das que são essenciais. Acreditais, por exemplo, que o passe é para vossos males como se fosse um recurso mágico. Não. Deus fortalece as almas cansadas, enviando dos planos superiores as energias benfazejas. Mas faz-se necessário compreenderdes que vossa paz virá, acima de tudo, da observância das Leis Espirituais. E, não podereis observá-las sem o estudo, sem a meditação constante, sem vos esforçardes em praticar o Evangelho libertador. Despertai, irmãos espíritas. Buscai contato com a Luz Divina, mas permiti que Ela possa incandescer na vossa intimidade.

Jesus, Senhor e Mestre, preside o Movimento de Renovação que se opera nesta humanidade. Prometeu enviar a seus seguidores um espírito de ensinamento e conforto. Vós fostes militantes das escolas católicas e protestantes em encarnações passadas. Hoje tendes a missão de dar vida a uma nova e definitiva organização, capaz de exercer influência no campo da moralidade, da ciência, da filosofia e da religião. Mas o que tem sido feito entre vós? Não estaríeis envolvidos em demasia com vosso atavismo religioso? Olhai para o vosso movimento e buscai os sinais da vossa decadência. Tendes, entre vós, médiuns e oradores que são reverenciados como santos. Tendes os vossos santos. Promoveis romarias. Posturas compreensivas entre irmãos de outras crenças cristãs, mas não nos que são verdadeiramente espíritas.

Estais envolvidos pela irracionalidade. A cada dia, assemelhai-vos mais e mais aos que ainda hoje são guiados pela fé que não pensa, que não compreende, que mata. Alertai-vos, para que não piseis as coisas santas, colocadas ao vosso alcance. Procurai examinar os livros espíritas com cautela. Muitos dos que circulam em vosso meio trazem mensagens prejudiciais ao crescimento espiritual, despertando e fortalecendo o fanatismo e a idolatria. Não creiais em todos os Espíritos, mas provai se são de Deus, disse João em sua Epístola Primeira. Hoje, como em nenhum outro tempo, necessitais observar tal princípio. Interesses financeiros e personalistas grassam por toda parte sob o nome da Doutrina dos Espíritos. Atentai, para que não sejais vítimas do mal.

Podereis indagar como é possível separar o joio do bom grão. Eu vos digo: estudai a mensagem kardequiana. Exaltai a importância do exame cuidadoso de O Evangelho Segundo o Espiritismo e de O Livro dos Espíritos. Serão essas obras para vós outros, o referencial para julgardes se a semente é boa ou má. Não deis ouvidos aos que afirmam estar esses ensinamentos fora de época. Quem são eles? Onde estão suas obras? Pelos seus frutos os conhecereis. O orgulho é o guia desses que pretendem olhar a Obra de Deus com se pudesse julgá-la pelo seu próprio entendimento.

Terra, vale de lágrimas, de provas, de ilusões. Assim será, até que os homens entendam que fora do exercício constante do Bem e da Justiça Divina, não há salvação, nem destino feliz. Espíritas: observai e vivei as lições do Senhor. A vós foi dado mais, muito mais, que a vossos irmãos. Mais, muito mais, vos será cobrado. Paz e coragem. A marca do Cristo repousa sobre aqueles que depositam fé e confiança nos Seus ensinos”. – Constantino, um Espírito protetor”

Espírito: Constantino
Grupo Espírita Bezerra de Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário