segunda-feira, 9 de maio de 2011

09 DE MAIO DE 1431

Quarta-feira, 

Jehanne é levada a câmara de tortura e mostrados os instrumentos de tortura. (A tortura era permitido nos ensaios inquisição se se acreditava que o acusada tinha feito declarações contraditórias, ou tinha mentido contra outras provas consideradas irrefutáveis.)
Jehanne respondeu:
"Em verdade, se você fosse me fazer membro a membro e separar a minha alma do meu corpo, Eu não diria mais nada: e se eu não disse nada, eu devo declarar depois que você tinha me obrigado a dizê-lo pela força.
" Então ela disse que em Santa Cruz, último dia ela recebeu o conforto do Arcanjo Gabriel: ela está convicta de que foi Gabriel, ela sabia de suas vozes era ele.
Ela disse que pediu o conselho de suas vozes se ela deveria apresentar à Igreja desde o clero estavam pressionando seu relato para apresentar: sua voz disse-lhe que se ela que Nosso Senhor à ajuda e que ela deve esperar no Senhor em todas as suas obras.
Ela disse que Nosso Senhor sempre foi o mestre de seus atos, e o inimigo nunca tinha poder sobre eles.
Ela perguntou-lhe as vozes se ela seria queimada e eles responderam que ela deve esperar em Deus, e Ele ajuda-la.
Quando perguntado sobre a coroa, ela disse que tinha dado ao arcebispo de Reims, e se ela iria submeter-se a ele, ela respondeu: "Mande-o aqui [e deixe-me ouvi-lo falar]: e depois vou lhe responder.
Ousa não negar o que eu vos disse ".
Mas vendo a dureza de seu coração e sua maneira de responder, nós, os juízes, disse, temendo que os tormentos da tortura seria de pouco lucro para ela, decidiu adiar a sua aplicação até que se tivesse recebido um conselho mais completo sobre a questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário