segunda-feira, 20 de outubro de 2014


Deus me encarregou de sua missão que devo cumprir junto aos crentes favorecidos pelo mediunato.  Quanto mais graças eles recebem do alto, mais perigos enfrentam, e esses perigos são tanto maiores quanto provém dos próprios favores que Deus lhes concede. As faculdades de que gozam os médiuns lhes atraem elogios dos homens, os cumprimentos e as adulações: eis o seu tropeço. Esses mesmos médiuns que deviam sempre se lembrar de sua incapacidade anterior, a esquecem. Fazem ainda mais: aquilo que só devem a Deus, atribuem ao seu próprio mérito.

 

Que acontece com isso? Os Espíritos bons os abandonam e eles se tornam joguete dos maus, não dispondo de bússola para se guiarem. Quanto mais se tornam capazes, mais são levados a se atribuírem um mérito que não lhes pertence, até que Deus os castigue retirando-lhes uma faculdade que já então só lhes poderia ser fatal.

 

Nunca seria demais vos lembrar de pedir assistência ao vosso anjo da guarda, para que ele vos ajude a estar sempre vigilante contra o vosso mais cruel inimigo, que é o orgulho. Lembrai-vos bem, vos que tendes a felicidade de ser intérpretes entre os Espíritos e os homens, que sem o amparo do nosso divino Mestre seríeis punidos ainda mais severamente, porque fostes mais favorecidos.

 

Espero que esta comunicação produza os seus frutos e desejo que ela possa ajudar os médiuns a se manterem vigilantes contra o escolho em que poderiam quebrar-se. Esse escolho, como já vos disse, é o orgulho.

 
JOANA D’ARC

Mensagem inserida no LIVRO DOS MÉDIUNS

Nenhum comentário:

Postar um comentário